You are using Internet Explorer 11 or earlier, this browser is no longer supported by this website. We suggest to use a modern browser.

  • Home
  • Comunicado de imprensa

Press Release

Corporativo Jun 6, 2019 1:00 PM

Menos consumo; mais sustentabilidade

A unidade Springs & Stabilizers da thyssenkrupp tem fábricas de molas e estabilizadores para o setor automotivo em São Paulo (SP) e em Ibirité (MG). Tanto nas áreas produtivas, quanto nos escritórios administrativos, comitês de colaboradores se reúnem periodicamente para discutir como minimizar o impacto ambiental da produção, por meio da redução do consumo de recursos naturais e energia. Para se ter uma ideia, o setor industrial consome 32,9% da eletricidade gerada no Brasil, enquanto que as residências consomem 9,7%, de acordo com o Ministério de Minas e Energia do País.

Atualmente, os ambientes da planta de São Paulo estão mais iluminados e gastando menos energia elétrica, graças à substituição de todas as lâmpadas usadas no escritório e na área fabril por modelos de maior eficiência energética. Entre 2016 e 2017, cerca de 3.300 lâmpadas foram trocadas e, com isso, foi possível obter uma redução de 50% no consumo anual de energia para iluminação.

Além da economia de energia elétrica, as novas lâmpadas de LED duram mais – de quatro a cinco anos – em comparação a um ano e meio das lâmpadas fluorescentes. Assim, o descarte de materiais também é reduzido ao longo do tempo.

“Os colaboradores aprovaram de imediato, pois os ambientes ficaram mais iluminados, proporcionando mais conforto visual para as atividades no trabalho. Na área de produção, percebemos que tarefas que exigem mais atenção na leitura, como medição e controle de qualidade, por exemplo, também foram beneficiadas”, relata José Carlos Garcia, especialista em engenharia industrial da Springs & Stabilizers São Paulo.

Na outra planta da thyssenkrupp, situada em Ibirité, a substituição de 1.300 lâmpadas fluorescentes por modelos de LED ocorreu em 2016 e proporcionou uma redução no consumo de energia para iluminação da ordem de 72% ao ano.

Reuso de água reduz impacto nos recursos hídricos

A ANA (Agência Nacional de Águas) estima que a indústria de transformação representa o terceiro maior uso da água no Brasil, atrás apenas do abastecimento humano urbano e da agricultura irrigada.

Ciente disso, desde janeiro de 2016 a Springs & Stabilizers Ibirité conta com uma estação de reuso que capta água da chuva por meio de calhas, para uso no lava-jato onde são limpos os equipamentos. O consumo mensal do lava-jato é de 8.000 litros, que com a reutilização da água deixam de ser captados da rede pública.

“A água misturada com óleo, proveniente das lavagens dos equipamentos, é captada, passa por tubulações e em seguida, por uma caixa de tratamento que separa a água do óleo. Com isso, o óleo fica retido em um reservatório e a água com detergentes vai para outro local, onde é bombeada para tanques nos quais ocorre um tratamento com substâncias químicas e físicas para que ela saia limpa e pronta para um novo processo de lavagem”, explica Guilherme Álvares, que trabalha na área ambiental da thyssenkrupp em Ibirité. Este ciclo de tratamentoé realizado quatro vezes e, após isso, a água é limpa na estação de tratamento de efluentes antes de ser disponibilizada no ribeirão próximo à fábrica.

Na fábrica de São Paulo, desde 2017 a água para descarga dos sanitários vem de uma estação de reuso interna que conta com um reservatório de 25.000 litros. “A economia chega aos 50.000 litros por mês, que deixam de ser captados da rede pública. Planejamos expandir o reuso para 200.000 litros ao mês até 2020”, ressalta Luiz Carlos Rodrigues, supervisor de infraestrutura na planta de São Paulo.

Plantio de árvores e reciclagem

A fábrica de Ibirité também está mais verde desde fevereiro de 2019, quando foram plantadas no local 100 mudas de árvores nativas da região. Foram selecionadas nove espécies para recompor principalmente a área do pomar e da encosta do talude da área onde fica a fábrica: Araçá, Pitanga, Pata-de-Vaca, Caroba, Ingá, Aroeira Salsa, Ipê Roxo, Paineira e o Embiruçu. Além disso, outras 150 mudas foram doadas aos colaboradores da unidade, acompanhadas de informações necessárias sobre plantio e cuidados com as plantas, para que eles possam espalhar o verde em seus próprios quintais ou outras áreas públicas da cidade.

Há mais de 12 anos, a planta de São Paulo promove a coleta seletiva de papel, plástico, metal e vidro em parceria com a cooperativa de reciclagem Raio de Luz. Ao todo, 40 toneladas de resíduos recicláveis são coletados na planta anualmente, o que reduz a quantidade de lixo encaminhada para os aterros sanitários da região e contribui com a geração de renda para os catadores que formam a cooperativa.