Skip Navigation

Submarinos silenciosos, de impossível detecção

Submarinos de sucesso, cada um em sua própria classe: A thyssenkrupp Marine Systems possui uma experiência consolidada no projeto e construção de submarinos não nucleares.

Décadas de experiência, juntamente com um fluxo constante de ideias e conceitos inovadores, são a base para o sucesso do nosso estaleiro de submarinos baseado em Kiel. A entrega de submarinos para utilização em águas costeiras e profundas para marinhas de mais de 20 países é uma clara evidência do nosso sucesso. Os submarinos da Classe 209 da HDW, por exemplo, podem ser encontrados em todos os oceanos do mundo. Na verdade, nenhuma outra classe de submarino diesel-elétrico foi tão construída no mundo ocidental.

Desde os primórdios dos submarinos, o objetivo era prolongar o tempo de mergulho. Sistemas de propulsão independentes do ar (Air-Independent Propulsion - AIP) tornaram isso possível para embarcações não nucleares. Os sistemas AIP aumentam significativamente o alcance submerso do submarino e reduzem o risco de descoberta. A unidade propulsora de células de combustível da HDW, o sistema AIP desenvolvido e implantado em Kiel, não possui partes móveis. Isso praticamente impossibilita a detecção de um submarino. Os submarinos HDW das Classes 212A, 214 e Dolphin AIP movidos por uma unidade propulsora de célula de combustível HDW foram os primeiros a realizar mergulhos extremamente longos, independentemente de fontes de ar externas. Essas classes estabeleceram novos padrões em termos de assinatura, alcance, automação, controle de armamentos, comunicação externa, conforto da tripulação e conveniência.

Ao unir a expertise em submarinos com desde a pesquisa e desenvolvimento básico até o projeto, fabricação, equipamentos, testes e suporte contínuo, garantimos que tudo o que você receber da thyssenkrupp Marine Systems venha em primeira mão a partir de uma única fonte.

Tupi class submarines Tikuna Tapajós Timbira Tamoios Marinha do Brasil thyssenkrupp
Submarino classe Tupi: construído no estaleiro da thyssenkrupp em Kiel, na Alemanha, e incorporado à Marinha do Brasil no final da década de 1980.
voltar ao topo