Skip Navigation
Carbon2Chem: transformando emisiones en materiales fundamentales

Carbon2Chem: transformando emissões em materiais fundamentais

Conversão dos gases da usina siderúrgica em materiais químicos.

Os gases das usinas siderúrgicas são gerados em vários pontos do processo de fabricação de aço. Eles contêm nitrogênio, hidrogênio, metano, monóxido de carbono e dióxido de carbono (CO2), entre outros. Hoje, usamos esses gases como fonte de energia ao queimá-los em usinas para gerar eletricidade para a produção de aço.

Carbon2chem: transformando emisiones en materiales fundamentales

O objetivo do projeto Carbon2Chem a longo prazo é usar os gases das usinas siderúrgicas como matéria-prima.

A ideia é que uma instalação química próxima use esses gases como material de base para a produção de combustíveis e fertilizantes. O CO2 contido nos gases da usina siderúrgica também seria convertido.

Esse conceito deve estar pronto para uso em escala industrial por volta de 2030. Claro que as usinas siderúrgicas ainda precisarão de eletricidade. É aí que as energias renováveis entram: quando há excesso de energia solar ou eólica, usamos isso em nossa produção de produtos químicos. Os gases expelidos serão divididos de modo que cada parte deles seja usada para fabricar amônia e metanol.

Hidrogênio a partir da energia verde

Hidrógeno a partir de energía verde

Também queremos usar a "energia verde" para produzir mais hidrogênio que o que já está contido nos gases residuais. Precisamos de hidrogênio adicional para converter o CO2. O dióxido de carbono é um componente químico muito estável e é necessária muita energia - como a contida no hidrogênio - para quebrá-lo.

Êxitos:

  • Conversão dos gases da usina siderúrgica em materiais químicos fundamentais
  • Uso de energia renovável
  • Conceito flexível usando excesso de eletricidade
voltar ao topo